Aliança Global para Erradicar a Violência contra a Criança realiza segundo encontro em São Paulo

13 de dezembro de 2017

Representantes de organizações da Sociedade Civil estiveram reunidos em São Paulo na última quarta-feira (13/12) para o segundo encontro da Coalisão Aliança Global para Erradicar a Violência contra a Criança (Global Partnership to End Violence Against Children), iniciativa interagências da ONU que visa alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 16 da ONU, especificamente o 16.2, que trata do enfrentamento ao abuso, exploração, tráfico e todas as formas de violência e tortura contra crianças e adolescentes.

A reunião foi realizada na Fundação Abrinq e contou com representantes de diversas organizações, como Childhood, Instituto Alana, Aldeias Infantis, Save The Children, Visão Mundial, além das representações Maristas na Coalisão, que neste momento contou com a participação do Centro Marista de Defesa da Infância e da Província Sul-Amazônica.

O primeiro ponto de pauta referiu-se à representação da Sociedade Civil no Evento Solution Summit 2018, uma iniciativa da Global Partnership, We Protect e Governo da Suécia, que ocorrerá nos dias 14 e 15 de fevereiro, em Estocolmo. O objetivo deste evento é evidenciar e contribuir no avanço de trabalhos que já estejam em desenvolvimento e representem soluções inovadoras para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs). Os representantes da Coalisão elegeram o Instituto Alana para participar deste momento. Há também uma vaga que deve ser preenchida por um representante do Governo e um adolescente.

Na ocasião também foi definida a primeira estratégia concreta de atuação da Aliança Global no Brasil. Os representantes irão elaborar um posicionamento direcionado ao Governo sobre a situação da violência contra crianças e adolescentes no país. A ideia é solicitar uma atuação mais consistente e compromissada do Brasil no enfrentamento às violências contra meninos e meninas. A proposta é que esse posicionamento seja entregue no fim de janeiro, em um evento interministerial e interconselhos. O Instituto Alana ficará responsável por escrever uma minuta inicial, baseada no documento INSPIRE, apontando a ausência do recorte étnico-racial no estudo, até dia 12 de janeiro.

Outros encaminhamentos

Indicação de especialistas brasileiros que possam contribuir com temas do INSPIRE, especialmente pesquisas que façam recorte étnico racial nas questões de violência contra crianças e adolescentes. Neste sentido, importante indicar pesquisas com metodologia de Grupo de Controle, que indicam a prevalência das violências contra meninos e meninas pretos e pardos, mas que apresentem soluções.

Filiação das organizações à Global Partnership. O FMSI já é membro, mas é necessário que alguma representação Marista brasileira também se filie para seguir com os trabalhos em conjunto com as outras organizações.

O próximo encontro da Coalisão deve ser realizado conjuntamente com o evento de entrega do posicionamento.