Campanha de autodefesa de crianças contra violência sexual é vencedora do Prêmio Aberje 2018

28 de novembro de 2018

47117192_1959223884143117_9093101113216860160_oNo Brasil, de acordo com o Disque 100, entre 2011 e 2017, foram registradas 174.606 denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes. Mesmo com uma lei severa e mais informação sobre o assunto disponível em diversos meios de comunicação, este crime permanece como um desafio para a sociedade brasileira. Por isso, a fim de contribuir na luta pelo fim desta violência, desde 2014, o Centro Marista de Defesa da Infância desenvolve a Campanha Defenda-se: autodefesa de crianças contra a violência sexual, projeto que acaba de receber o Prêmio Aberje 2018 na categoria Comunicação e Relacionamento com a Sociedade, em cerimônia realizada em São Paulo, na noite de terça-feira (26).

Utilizando estratégias de comunicação e marketing social o projeto promove a participação de crianças de 4 a 12 anos em ações de autodefesa contra o abuso e a exploração sexual. Os vídeos possuem linguagem acessível, amigável e preventiva, e estão disponíveis para visualização e download em português, inglês, espanhol, libras e em audiodescrição no site do projeto http://defenda-se.com.

Para o coordenador da campanha, Vinícius Gallon, o prêmio é mais uma certificação da qualidade do projeto e ajuda a dar visibilidade para o tema. “Há muita desinformação sobre esse assunto circulando em todos os meios de comunicação, especialmente sobre a possibilidade de autodefesa da criança contra a violência sexual e uma educação em sexualidade nas escolas. O Prêmio Aberje reconhece a potência desse projeto, sobretudo, por ter encontrado uma linguagem apropriada tanto para os meninos e meninas, quanto para os adultos responsáveis por sua proteção, sem ferir a dignidade de ninguém”, comenta.

O coordenador afirma, ainda, que esse reconhecimento coloca em pauta a participação infantil em assuntos que lhes dizem respeito. “A publicidade e a propaganda, via de regra, veem a criança apenas como um público consumidor de ideias e produtos, com poder de decisão sobre a compra dos pais, por isso criam todos os dias novas necessidades de consumo. Por que não aproveitar esse potencial para transmitir conhecimentos importantes para a vida dessas crianças? Nossa maior preocupação é contribuir com informações que sejam cientificamente corretas, culturalmente aceitas, socialmente relevantes e apropriadas para os pequenos em seus diferentes momentos de desenvolvimento, para que tenham chances reais de participarem ativamente das soluções dos problemas que se apresentam em suas vidas”, opina.

Para o ano de 2019, o projeto terá o lançamento de mais um vídeo, previsto para ocorrer na semana do dia 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Também no próximo, dois livros paradidáticos inspirados na Campanha Defenda-se, produzidos em parceria com a editora FTD, estarão disponíveis para aquisição pelas escolas brasileiras: “Nina e suas luzinhas”, indicado para crianças a partir do 4° ano da Educação Básica, e “Um bairro contra o silêncio em defesa da vida”, para crianças a partir do 7° ano. As duas obras são de autoria da escritora Januária Alves.

Sobre o Case: Reposicionamento de Marca da Campanha Defenda-se

Para manter o trabalho relevante e atual, o Centro de Defesa propôs neste ano o reposicionamento de marca para a Campanha, a fim de fortalecer seu relacionamento com a sociedade, especialmente com seus públicos prioritários, buscando subsídios em workshops desenvolvidos durante os primeiros anos do projeto, nas experiências de utilização de educadores, famílias e profissionais do Sistema de Garantia dos Direitos, escutas a crianças, comentários deixados nas redes sociais, estudos avançados sobre violência sexual, e em um relatório técnico encomendado especificamente para esse reposicionamento.

Para essa estratégia foi produzido um novo vídeo com redesign de personagens e cenários; teaser promocional e em formato para cinemas; peças de comunicação online e off-line; estratégia de fortalecimento da presença em Mídias Sociais, ações de Assessoria de Imprensa; Comunicação Interna e Institucional; Comunicação com Stakeholders; Revisão do Site; Adaptação do vídeos em Libras e Audiodescrição; participação em eventos: Congresso Brasileiro de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes; V Seminário Estadual sobre os 28 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente

Como resultado destas ações, a campanha alcançou em torno de 10 milhões de visualizações em redes sociais, foi divulgada em importantes meios de comunicação do país e agora está presente em 80 países onde o Instituto Marista tem presença.