CEDCA-PR tem primeira eleição online para conselheiros da sociedade civil

29 de setembro de 2017

Pela primeira vez no Paraná, conselheiros não governamentais foram eleitos para o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, pela internet. As 12 vagas para representantes de organizações da sociedade civil foram preenchidas no dia 14 de setembro, depois de finalizado o processo de votação online, em apenas um dia. Já a publicação das instituições eleitas ocorreu nesta quarta-feira, dia 24 de setembro e pode ser acessado AQUI.

A novidade reduziu custos para as entidades que não precisaram se deslocar para outra cidade a fim de registrar seu voto. Das 149 entidades que se inscreveram para participar do processo, 113 foram habilitadas, de acordo com os critérios do edital, e 14 delas concorriam às 12 cadeiras no Conselho. Cada organização habilitada recebeu no e-mail cadastrado o link para a cédula eleitoral, que ficou liberado das 10h às 17h. Das 113 entidades habilitadas, 85 efetivaram a votação.

Débora Reis, analista de orçamento público do Centro Marista de Defesa da Infância, que ocupou a presidência no biênio 2016/2017, continuará a atuar no CEDCA-PR, mas agora na qualidade de conselheira, tendo Beatriz Caitana, também do Centro de Defesa, como sua suplente. Na gestão de 2017/2019 quem assume a presidência é o (a) representante dos conselheiros governamentais, e a vice-presidência será ocupada pelo (a) representante da sociedade civil, ambos ainda serão eleitos.

PROCESSO – O processo eleitoral foi aprovado pelo CEDCA-PR. Para garantir a representatividade da sociedade civil de todo o Estado, as vagas foram divididas em nove regiões (regionais ampliadas). Dessa forma, as organizações puderam participar conforme o local de sua sede, sem precisar se deslocar, bastando apenas ter à disposição computador com acesso à internet.

A Comissão Eleitoral contou com o apoio do Ministério Público na concepção do sistema. “Foi o primeiro passo para grande avanço na ampliação da participação da sociedade civil na composição do Cedca, atingindo com maior capilaridade as entidades”, declarou a promotora de Justiça Luciana Linero. O processo eleitoral foi executado pela comissão eleitoral designada pelo conselho e fiscalizado por Ministério Público, OAB/PR e Fórum DCA.

Matéria editada a partir do texto publicado no site do CEDCA-PR, disponível neste link.