E-book gratuito quer ajudar escolas públicas a ressignificar seus espaços educativos

13 de maio de 2019

IMG_3161

“Este livro poderá constituir-se em referência para educadores que compreendam que, se continuarem cativos dos vícios da velha escola, negarão a muitos seres humanos o direito à educação”. O trecho faz parte do prefácio escrito pelo célebre educador português José Pacheco para o livro “Educação integral e as práticas em desenvolvimento”, lançado hoje pelo Centro Marista de Defesa da Infância. O livro é um dos resultados da terceira etapa do projeto Territoriar e está disponível gratuitamente, em formato digital, por meio deste link. O e-book é voltado prioritariamente para professores, profissionais e agentes da educação pública de todo o Brasil.

Escrito com o objetivo de fortalecer a formação desse público, a obra provoca reflexões sobre o tema a partir da visão de inúmeros estudiosos no assunto, como as pensadoras e coautoras Adriana Friedmann, Claudia Galian, Gabriela Spagnuolo Cavicchioli, Nayana Brettas, Neuzita de Paula Soares e Pilar Lacerda. Bárbara Pimpão, gerente do Centro de Defesa e coordenadora do projeto Territoriar, destaca que a publicação aponta para a relevância da integração da educação com as demais políticas e equipamentos públicos, bem como a importância de a escola estar integrada ao território e às comunidades em que está inserida, como fundamentais na garantia de uma educação pública de qualidade.

A obra defende mais tempo para a formação dos educadores e gestores educacionais e a educação integral, com a centralidade no currículo, a participação das crianças e adolescentes nas tomadas de decisão dentro do ambiente educacional, o estímulo ao protagonismo e à formação ética, e a integração de políticas públicas, com investimentos financeiros e articulação entre municípios e estados. Esses eixos são mostrados, na prática, por meio de práticas de educação integral em desenvolvimento em todo o território nacional, incluindo escolas que participaram do projeto desde o início, em 2015.

3ª etapa do projeto Territoriar

Autor de dezenas de livros e conhecido por fundar, em 1976, a disruptiva Escola da Ponte, José Pacheco é exímio crítico dos moldes tradicionais de ensino e uma referência para o Territoriar, projeto criado em 2015 pelo Centro de Defesa para ressignificar espaços pedagógicos com a participação da comunidade escolar. Logo no primeiro ano, o Territoriar transformou 15 espaços educativos públicos do país.

De lá para cá ele vem contribuindo para o desenvolvimento integral das crianças, na medida em que faz uso de uma metodologia participativa, focada em direitos e uma escola de qualidade. As 86 páginas do livro marcam a terceira etapa do projeto que, neste ano, pretende resgatar as iniciativas desenvolvidas enquanto discute arquitetura escolar, território educativo, participação infantil e popular.