Pesquisa sobre consumo e infância apoiada pelo Centro de Defesa é apresentada no Colégio Marista Santa Maria de Curitiba

22 de novembro de 2018

IMG_2739O Centro Marista de Defesa da Infância e a equipe pedagógica do Colégio Marista Santa Maria estiveram reunidos na semana de 21/11 para refletirem sobre os resultados da pesquisa de mestrado intitulada “Adultização, a identidade social da menina tween e suas práticas de consumo”, realizada no âmbito do programa em Pós-graduação em Administração estratégica da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR. O estudo foi desenvolvido no Colégio Santa Maria entre os anos de 2016 e 2017 pela pesquisadora Tiziana Weber no âmbito do programa de bolsas de mestrado do Centro de Defesa.

A pesquisa teve como objetivo identificar as práticas de consumo que contribuem para a formação da identidade social de meninas tween e estudar a relação da sua identidade com o fenômeno da adultização. Como forma de partilhar o percurso da pesquisa com o Colégio tomado como objeto de estudo, foi realizada reunião com a equipe de coordenação colegiada tanto para apresentação dos resultados encontrados, como para verificar o seu impacto no contexto do Colégio e receber outras considerações e contribuições por parte da equipe pedagógica

O público-objetivo no estudo correspondeu às meninas com idade entre oito e doze anos também chamadas de tween, que na revisão da literatura do estudo apresentado são um exemplo de como o consumo pode reduzir a fase da infância. A pesquisadora identificou entre as crianças pesquisadas diferentes identidades sociais e suas respectivas características. Observou ainda que as práticas de consumo contribuem para integração no grupo, mas também para a construção de uma identidade social mais adulta. Considerando o objetivo de incidir na política da criança, a pesquisa disponibiliza um conjunto de sugestões de políticas públicas sobre o tema.

Com o surgimento tardio da noção de infância, somado às mudanças e dinâmicas complexas em sociedade, tem sido cada vez mais difícil sustentar as definições dos indivíduos por categorias etárias. Ou seja, as fronteiras entre as diferentes idades estão cada vez mais diluídas e indefinidas. O que, conforme descrito pela pesquisadora, explica a existência de práticas, serviços e bens de consumo associados muitas vezes sem distinções entre adultos e crianças.

Sobre o projeto

Desde 2012, O Centro Marista de Defesa da Infância, da Rede Marista de Solidariedade, fomenta e apoia financeiramente a realização de projetos de pesquisa de natureza acadêmica relacionados com a promoção e defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes. Uma das características do programa é apoiar pesquisas nos mais variados temas, tendo em conta a perspectiva integral de proteção dos direitos.